sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Velhas verdades, novas mentiras...


                

O tempo tráz à tona velhas verdades, assim como a necessidade de sorrir nos remete à novas mentiras. É sempre assim, desde que Deus inventou a maçã e cismou de proibir Eva de comê-la. Esses luxos vazios que compõem nossa visão deturpada de felicidade foram incorporados á nossas mentes num constante esforço histórico. E a vida segue, nessa busca desvairada por uma felicidade ideal, postiça. Não é que ela seja impossível, só que muitos se perdem no processo. Eu caí também. Talvez eu tenha me perdido nas minhas próprias atitudes, mas é um fardo que se leva ao assumir escolhas. Não me arrependo porque isso não me pertence mais.

Quero aposentar as velhas mágoas para que elas tenham o seu devido descanso...e me permitam ter o meu. Uma alma cansada envelhece anos em dias! Não quero isso, não tenho pressa. Começar de novo é um exercício de coragem e determinação. Difícil, mas necessário. É preciso recomeçar sempre que se chega ao fim de uma etapa. Isso porque a vida é feita de ciclos onde os momentos bons e ruins se alteram. O importante é selecionar bem o conteúdo da bagagem que se leva, pois quanto mais pesada, mais lenta a caminhada, mais demorado é o aprendizado e mais curto se torna o tempo para recuperar o que é realmente importante.

As velhas verdades surgem para nortear os pensamentos quando eles se desvirtuam. As novas mentiras são o alimento de nossas ilusões, quase sempre dolorosas, mas fundamentais para o crescimento pessoal. É o equilíbrio de verdades e mentiras que faz da vida o que conhecemos: essa roda louca de "sobes" e "desces". Hora feliz, hora triste, sigo meus dias tentando me tornar mais leve. Abrir mão de hábitos viciantes e viciados é algo que, sem dúvida, balança as estruturas de qualquer um. Por isso é preciso ter força, para lidar com as peripécias do coração e ousadia, para mostrar ao mundo o resultado dessa constante mudança interior. Todos os dias, peço a Deus serenidade e todos os dias, Ele me responde com um sorriso no céu. Isso me dá a calma que preciso e é também a certeza de que não estou sozinha.

A verdade é que a vida é uma estrada onde caminhamos para encontrar as lembranças do que um dia fomos. Essas lembranças são bases para os novos passos, assim como as velhas verdades são bases para as novas mentiras. Não existem receitas prontas para acertar o caminho porque só o caminhar já faz valer a chegada e, de uma forma ou outra, conduz à partida.

É preciso ter paciência para respeitar limitações até o momento de superá-las, humildade para transpassar insucessos e autoestima para valorizar acertos. Importante também é nunca parar, mesmo que os pés calejados exijam. A recompensa é o aprendizado advindo da superação. Com o tempo, as coisas se resolvem, se justificam. O que sobra é a serenidade de quem tropeçou muitas vezes e caíu outras tantas, mas soube se levantar e continuou caminhando. Porque no fim, não importa o tamanho da estrada, tudo vira canção...


"Ando devagar porque já tive pressa e levo esse sorriso porque já chorei demais.
Hoje me sinto mais forte, mais feliz, quem sabe, só levo a certeza de que muito pouco eu sei,
Ou nada sei...

Conhecer as manhas e as manhãs, o sabor das massas e das maçãs.
É preciso amor pra poder pulsar
É preciso paz, pra poder sorrir
É preciso a chuva parar florir...

Penso que cumprir a vida seja simplesmente compreender a marcha e ir tocando em frente
Como um velho boiadeiro levando a boiada
Vou tocando os dias pela longa estrada, eu vou
Estrada eu sou (...)

Todo mundo ama um dia, todo mundo chora
Um dia a gente chega e no outro vai embora
Cada um de nos compõe a sua historia
Cada ser em si carrega o dom de ser capaz...


E ser feliz" !

(Tocando em Frente - Almir Sater)

3 comentários:

Vinícius Aguiar disse...

Isa, acho que ninguém no mundo me ensina tanto como você! E como é difícil não se "perder no processo". Eu já caí também, já levantei, e caí de novo, seguidas vezes... e vou tentando, lutando, agarrando-me no fio de esperança que ainda me resta para buscar as coisas que eu sempre sonhei. Mas parece que é assim com todo mundo, e sempre vai ser. Que Deus nos ajude! Beijos!

Ludmilla disse...

to tentando aplicar a minha vida "não espere morrer para viver no paraiso" estou tentando comer a sobremesa antes e ser feliz, no presente, é claro que pensando no futuro pois ele chega na maioria das vezes. gostei do seu texto, abraço.

Isa** disse...

Olá, Ludmilla...obrigada pela visita! Seja sempre bem vinda, viu? Fico feliz que tenha gostado! =) E a vc, Vini, meu abraço carinhoso de sempre! Adoro-te muito!!!

Bjos e obrigada pela presença! =D

\o