quarta-feira, 7 de abril de 2010

Colo de mãe


A graça da vida é que ela muda.
Não se sabe como, quando, quanto...
Ela muda na proporção das nossas derrotas.
O peso da perda engrandece se acompanhado de aprendizado em vez de pezar...
A gente sabe que está crescendo quando crescem os problemas...
A gente sabe que é forte quando cresce sem desanimar...
Devagar e sempre...
No balanço das ondas que se arrastam preguiçosas...
Na fúria do mar que explode na ressaca...
A força de um oceano no coração de uma mulher.
Maria-mãe
Maria-do-céu
Ave!

Um comentário:

Vinícius Aguiar disse...

Saudades daqui! E saudades (internas) ao ler essas palavras... mas enfim, Deus sabe oq faz!
beijos Isa!