quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Particulares e particulandos...



Durante muito tempo eu quis fugir, deixar minha velha vida para trás. Então, enchi de sonhos a minha mala desbotada e fui abraçar aquilo que julgava ser o melhor. Se fosse ao menos um julgamento meu...mas eram apenas idéias alheias encrustadas na minha alma. Confesso que o desejo juvenil de buscar novos ares me impulsionou muito. Confesso também que não tinha preparo emocional para aquela mudança, ao menos não no momento. Mas mesmo assim, indiferente a tudo que fosse contrário, eu fui.

Levei na cara um bom tempo até entender como as coisas realmente funcionam...mas ter voltado ao começo me deu uma lição de vida. A gente sempre acha que o de fora é melhor, que estar longe é vantagem, que morar com uma turma de outros alienados programados para vencer é garantia de sucesso e que alcançar o que esperam de nós é de fato garantia de felicidade. Mas ninguém nos conta que a felicidade é alcançada nas pequenas coisas, que fazer tudo "como deve ser feito" não garante sucesso sempre e que bater por anos na mesma tecla deixa de ser persistência...e vira burrice. Não dizem também que somos os únicos responsáveis por nosso crescimento e que ter ou não lugar no mercado não depende de entrar numa faculdade X ou Y mas sim do que você aprende lá dentro e a forma como aproveita sua bagagem. Depende de como você sái e de não como entra!

Sei que aos olhos de muita gente "feita para o sucesso", opiniões assim não passam de justificativas para que uma fracassada se sinta melhor. Bom, a estes eu digo: só vivendo experiências que vão desde saír de casa aos 17, morar em cursinhos por dois anos, desenvolver transtornos alimentares, voltar para casa obrigada, fazer o curso pretendido ao lado do pai e em seguida perdê-lo, para saber como é. Não digo que perdi tempo. Ganhei maturidade para entender melhor as minhas escolhas e o que de fato tem importância na minha vida. Se eu ainda estivesse "lutando", talvez seria uma "felizarda" que passa em Federal. Mas eu sou apenas uma estudante de Direito numa particular. Que pena para mim... não terei o gosto de me jogar num gramado verde com outros "sortudos" hippongos que se julgam melhores que o resto da humanidade, nem vou usar minha "inteligência" para definir como o mundo funciona ou descrever a maneira patética com a qual a sociedade "evolui". Também não entrarei em manifestações duvidosas só para mostrar minha liberdade de expressão ou coisa parecida...

Não, sou uma humilde aluna de particular, que se contenta em abraçar seu curso com a mesma paixão de sempre, fazendo o melhor que pode a cada dia. Isso porque aprendi a não contar com respostas alheias nem me limitar ao ambiente onde me encontro. Meu sucesso depende de mim e não de professores ou instituições de renome. Até porque, muito do que estas instituições têm é realmente só o nome. Enfim, estou aqui, aluna de Direito da Faculdade Atenas, uma simples particular do interior. Isso me diminui como pessoa? Bom, só se eu for idiota como a maioria. Se me permitem dizer, sinceramente, não me importo com julgamentos fajutos e vazios vindos de pessoas vazias e limitadas. Sou aluna de particular, mas aprendi na escola coisas básicas, como a diferença entre "mal" e "mau". Paciência...

4 comentários:

Isa** disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Daiane Paracatu disse...

Vc é simplesmente maravilhosa;publica ou particular tenho certeza não fará diferença para o seu sucesso.

Vinícius Aguiar disse...

F-A-N-T-Á-S-T-I-C-O! Simplesmente, não tenho o que dizer. Faltaram-me palavras pra comentar um texto tão racional, inteligente, coerente e sensato. Sou formado em faculdade Federal, e posso atestar o outro lado da moeda. Apesar de contarmos com um "status" que não passa de mais um singular preconceito da sociedade, sofremos bastante para conseguir um diploma, passando por dificuldades por vezes desnecessárias, se houvéssemos deixado de lado este maldito status e recorrido à sanidade! Vou indicar seu texto para a Camilla, creio que você disse tudo que talvez eu ainda não tenha conseguido dizer a ela! Parabéns MESMO!

Beijos!

Isa** disse...

Poxa, fico muito feliz mesmo com o apoio de vcs! *.* Obrigada!!! É complicado lidar com o preconceito das pessoas, as vezes. E isso tudo é uma grande besteira! Escrevi esse texto porque vi no blog da Mila um comentário onde a garota dizia que nós, do Direito Atenas, não sabemos a diferença entre "mal" e "mau"...além de outras coisas. Me senti ofendida e resolvi colocar o que penso sobre essa gente tbm... Não é pra ofender, é pra me defender, sabe? =) Mas então, adorei a visita! Mais uma vez, obrigada de coração! Bjinhos!!!